HOME O PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA MINHA SAÚDE LOCALIZADOR DE FARMÁCIAS PERGUNTAS E RESPOSTAS   COMPARTILHE        
  LOGIN | CADASTRO

13/07/2018

Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é o aumento da próstata, problema comum entre homens a partir dos 40 anos, que pode interferir no fluxo normal da urina. Isso acontece porque, com seu volume maior, a próstata começa a comprimir a uretra. 1

A HPB atinge metade da população masculina com 65 anos ou mais e quase a sua totalidade acima dos 80. Por isso, uma das causas do problema está relacionada à idade. 2
Além do envelhecimento, as outras principais causas da doença é a Hereditariedade, pois pai ou irmão com HPB aumenta em até três vezes o risco de desenvolvimento da doença. 3

 

Outros fatores

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, ao consumir gorduras saturadas e zinco, aumenta-se o risco de desenvolver HPB. 3
E há estudos, ainda, que indicam outros fatores para o problema:

Raça: a incidência da doença é maior em populações africanas. 4

Obesidade: o Índice de Massa Corporal (IMC) está diretamente relacionado com o volume da próstata, devido ao aumento de estrogênio e à diminuição de testosterona, uma condição que ocorre com o avanço da idade. 4

Doenças: o tamanho da próstata é maior em homens com diabete tipo 2, hipertensão, baixos níveis de colesterol bom, o HDL, e altos níveis de insulina. A HPB tem sido associada à síndrome metabólica, uma série de doenças causadas pela resistência à ação da insulina. 4,5

Alimentação: estudos relacionam a HPB a uma alimentação pobre em hortaliças, frutas, cereais, chás, café, suco de fruta e soja, os chamados flavonoides; e também à carência de licopeno, encontrado principalmente no tomate. 4,6,7

Inflamação: alterações do sistema imunológico estão associadas à HPB. Em exames histológicos (feitos por microscópios), observou-se um número aumentado linfócitos T, responsáveis pela defesa do organismo, em homens com a doença. 8

Sedentarismo: um estudo com homens acima de 40 anos, realizado por pesquisadores da Hanyang University College of Medicine, em Seul, concluiu que os mais sedentários possuem risco maior para desenvolver HPB. 9

 

Como fugir da HPB?

Infelizmente, não é possível fugir de algumas causas da doença, uma vez que são inerentes ao homem, como os hormônios masculinos, e consequências naturais, como idade e hereditariedade. Mas é possível driblar outros problemas que podem ajudar na progressão da HPB.²

 

Mexa-se!

Se o sedentarismo, a obesidade e algumas doenças são fatores de risco, pratique uma atividade física.10
Além de perder peso, os exercícios ajudam na prevenção de diabetes, doenças cardiovasculares e no colesterol. 10

 

Mude o cardápio

Evite o consumo de gorduras saturadas e zinco. 3 Acrescente à sua dieta alimentos ricos em flavonoides e tomate. 4,6
Um estudo realizado em um grupo de 43 homens com idade entre 45 e 75 anos, observou por dez semanas as variações no Antígeno Prostático Específico (PSA), o exame para diagnóstico de HPB, com o consumo diário de 50 gramas de extrato de tomate. Nos homens analisados, a média de PSA antes do estudo, era de 6,51 ng/ml. Ao final da observação estava em 5,81 ng/ml. 11

 

Não fume e não abuse do álcool

Outro estudo concluiu que o tabagismo aumenta os riscos da doença para aqueles que fumam 35 cigarros por dia. Quanto ao álcool, seu uso moderado não acarreta consequências diretas. 12
A HPB possui várias formas de tratamento, mas mudança de hábitos no estilo de vida pode ser o primeiro passo para ajudar na prevenção do problema e redução de seus riscos. Se você tem 40 anos ou mais, consulte o urologista, outra atitude fundamental para cuidar da saúde da próstata.13

 

1.AVERBECK, M. et al. Diagnóstico e tratamento da hiperplasia benigna da próstata. 2010. In: Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 54 (4):471-477, out.-dez. Disponível em: <http://amrigs.org.br/revista/54-04/021-519_diagnostico.pdf>. Acesso em: 09 jan. 2017.

2. MÁRIO PARANHOS. Hiperplasia Prostática Benigna. Disponível em:<http://www.marioparanhos.com.br/index.php/hiperplasia-prostatica-benigna/>. Acesso em: 09 jan. 2017.

3. CONTE, J. Aumento benigno da próstata pode afetar 90% dos homens, 2013. In: DRAUZIO VARELLA. Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/homem-2/aumento-benigno-da-prostata-pode-afetar-90-dos-homens/>. Acesso em: 09 jan. 2017.

4. SANTOS, JS. Padrão alimentar, perfil antropométrico e lipídico em uma amostra de indivíduos com e sem câncer de próstata ou hiperplasia prostática benigna. Rio Grande do Sul: Universidade Federal, 2007. 47 p. Dissertação de mestrado. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/10738/000600597.pdf?sequence=1>.. Acesso em: 09 jan. 2017.

5. SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA (SBEM). Síndrome Metabólica. Disponível em:<http://www.endocrino.org.br/sindrome-metabolica/>. Acesso em: 09 jan. 2017.

6. SILVA, JO. O que são flavonoides e seus benefícios para saúde, 2012. In:PORTAL EDUCAÇÃO. Disponível em:<http://www.portaleducacao.com.br/nutricao/artigos/20767/o-que-saoflavonoides-e-seus-beneficios-para-saude>. Acesso em: 09 jan. 2017.

7.BAYMA, C. Licopeno: potência antioxidante que previne câncer. In: SAÚDE DA PRÓSTATA. Disponível em:<http://www.saudedaprostata.org.br/index.php?botao=41&ref=16&tipo=colaborador&titulo=Licopeno:%20pot%C3%AAncia%20antioxidante%20que%20previne%20c%C3%A2ncer>. Acesso em: 09 jan. 2017.

8. FRANCISCO FONSECA. Por que a próstata cresce? 2015. Disponível em:<http://drfranciscofonseca.com.br/tag/fatores-de-risco/>. Acesso em: 09 jan. 2017.

9.LANDMAN, MD., Reducing Sedentary Time May Cut BPH Risk. Disponível em:<http://www.renalandurologynews.com/benign-prostatic-hyperplasiabph/reducing-sedentary-time-may-cut-bph-risk/article/403496/>. Acesso em: 09 jan. 2017.

10. SITE MÉDICO. Benefícios da atividade física, 2016. Disponível em:<http://www.sitemedico.com.br/site/boa-forma/fitness/6180-beneficiosdaatividade-fisica>. Acesso em: 09 jan. 2017.

11. SOUZA, ME. Influência da ingestão dietética de extrato de tomate nos níveis plasmáticos de antígeno prostático específico (PSA) em pacientes com hiperplasia benigna da próstata. Rio Grande do Sul: Universidade Federal, 2005. 89 p. Dissertação de mestrado. Disponível em:<https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/6059/000479925.pdf?seque nce=1>. Acesso em: 09 jan. 2017.

12.PLATZ, EA. et al. Alcohol consumption, cigarette smoking, and risk of benign prostatic hyperplasia. Am J Epidemiol, 149(2): 106-15, 1999. Oxford University Press, 2016. Abstract. Disponível em:
<http://aje.oxfordjournals.org/content/149/2/106.short>. Acesso em: 09 jan. 2017.

13. CONTE, J. Aumento benigno da próstata pode afetar 90% dos homens, 2013. In: DRAUZIO VARELLA. Disponível em:< http://drauziovarella.com.br/homem-2/aumento-benigno-da-prostata-pode-afetar-90-dos-homens/> . Acesso em: 09 jan. 2017.

 

BR/PP/0017/16

ANTERIOR
Hiperplasia Prostática Benigna (HPB): uma doença comum e progressiva
PRÓXIMO
Consequências da Hiperplasia Prostática Benigna na saúde e qualidade de vida
COMPARTILHE