HOME O PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA MINHA SAÚDE LOCALIZADOR DE FARMÁCIAS PERGUNTAS E RESPOSTAS   COMPARTILHE        
  LOGIN | CADASTRO

09/07/2018

Quando o interesse pela prática esportiva aparece, muitas vezes é com a intenção de emagrecer, enrijecer e tornear os músculos e, em raros casos, melhorar a flexibilidade. Entretanto, o esporte pode contribuir positivamente em outros aspectos, como melhorar a autoestima, combater a indisposição e até mesmo aprimorar a memória1 , sem contar que é capaz de prevenir contra algumas doenças como hipertensão, osteoporose e diabetes2 .

Exercícios podem ser considerados o inimigo número um da preguiça. Embora a atividade física canse o corpo, ele tem efeito inverso nas horas seguintes, pois aumenta o nível de adrenalina no organismo, dando mais disposição1 . Por outro lado, também proporciona uma boa noite de sono, motivada pela endorfina (neurotransmissor que atua como analgésico e traz sensação de bem-estar) liberada durante os exercícios. No entanto, é importante evitar a prática minutos antes de ir para a cama.3 

A prática ajuda a estimular a liberação de serotonina e dopamina, hormônios que melhoram o humor1 . Embora a relação entre exercícios e diminuição da ansiedade ainda não esteja totalmente comprovada, tudo indica que a concentração no treino ajuda a esquecer, por algum tempo, os problemas geradores de ansiedade, o que já pode ser considerado um grande benefício2 .

Esportes coletivos, particularmente, facilitam o convívio social, uma vez que a prática depende da interação entre os integrantes. Até mesmo as atividades consideradas individuais, como corrida ou natação, têm modalidades em grupo que podem ser praticadas em companhia de outras pessoas1 .

Órgãos também são outros grandes beneficiados.

O sistema nervoso central, por exemplo, tem seu funcionamento melhorado, contribuindo para a produção de neurônios nas regiões associadas ao aprendizado e a memória3 . De acordo com uma pesquisa feita pela Unicamp (Universidade de Campinas), praticar esportes pode favorecer o bombeamento de sangue para o cérebro, estimulando a criação de novas conexões entre os neurônios e aumentando a capacidade de comunicação entre as células nervosas. Consequentemente, o processo deixa o raciocínio mais rápido e melhora a memória, prevenindo contra doenças como Alzheimer e outras demências1 .

Já os pulmões têm sua capacidade de consumo de oxigênio e a resistência respiratória melhorada, ao mesmo tempo em que ocorre o fortalecimento da musculatura que o envolve.

O coração também é beneficiado porque a capacidade circulatória e a vascularização de quem pratica exercícios são muito mais desenvolvidas do que nos sedentários, o que faz com que exista melhor controle da pressão arterial e redução da frequência cardíaca em repouso, o que diminui o risco de doenças cardiovasculares3 .

E os pontos positivos não param por aí. Pesquisas têm comprovado que os praticantes de atividade física tendem a apresentar menor incidência da maioria das doenças crônico-degenerativas. A explicação tem origem exatamente na série de benefícios fisiológicos e psicológicos decorrentes da prática regular do exercício. As principais condições clínicas combatidas são: doença aterosclerótica coronariana, hipertensão arterial sistêmica, AVC (Acidente Vascular Cerebral), doença vascular periférica, obesidade, diabetes melito tipo II, osteoporose e osteoartrose, cânceres de cólon, mama, próstata e pulmão, ansiedade e depressão2 .

Lembre-se: o sedentarismo é condição indesejável e representa risco para a sua saúde. A prática regular de atividade física, em contrapartida, é capaz de preservar e melhorar a qualidade de vida2 . Mas embora seja de extrema importância, algumas pessoas possuem limitações que as impedem de praticar determinados esportes. Por isso, antes de começar a fazer algum exercício, faça uma visita a um médico. Somente um profissional está habilitado a analisar seu estado de saúde e recomendar uma forma segura de aprimorá-la.

 

  1. GONÇALVES, C. Sete benefícios do esporte para o seu bem-estar. In: MINHA VIDA. 2012. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2013.
  2. CARVALHO, T. et al. Posição oficial da sociedade brasileira de medicina do esporte: atividade física e saúde. Rev Bras Med Esport, 2(4): 79-81, 1996.
  3. HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN. Exercício físico: aliado das boas noites de sono. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2013.
ANTERIOR
Mitos e verdades por trás da dieta vegetariana
PRÓXIMO
Inatividade física
COMPARTILHE