HOME O PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA MINHA SAÚDE LOCALIZADOR DE FARMÁCIAS PERGUNTAS E RESPOSTAS   COMPARTILHE        
  LOGIN | CADASTRO

03/07/2018

ÁLCOOL e seus Benefícios

O uso de álcool pode ser considerado um problema de saúde dependendo da quantidade consumida. A OMS (Organização Mundial da Saúde) classifica como “uso abusivo de álcool” uma condição em que há danos à saúde. Já a “dependência de álcool” é um quadro mais complexo que inclui forte desejo de consumir, dificuldade de controlar e insistência em consumir bebidas alcoólicas apesar das consequências nocivas. Em geral o dependente também prioriza o álcool em detrimento de outras atividades e responsabilidades, tem tolerância ao álcool e pode apresentar sinais físicos de abstinência

De acordo com a OMS, o uso abusivo de álcool causa 4% das mortes em todo o mundo, superando óbitos por AIDS, tuberculose e causas violentas. São aproximadamente 2,5 milhões de mortes relacionadas ao consumo de álcool anualmente.

Enfermidades Decorrentes

A intoxicação por álcool pode ocasionar sintomas como dificuldade em caminhar, visão desfocada, fala arrastada, reflexos lentos e danos à memória3. O uso da substância está relacionado a mais de 60 tipos de doenças agudas ou crônicas que podem ser divididas em três grandes áreas:

* Condições totalmente atribuíveis ao álcool, como psicoses alcoólicas, cirrose hepática e dependência;

* Condições crônicas que têm o álcool como fator contribuinte, como cânceres de orofaringe e de mama e abortos espontâneos;

* Condições agudas que têm o álcool como fator contribuinte, como quedas, acidentes de trânsito e afogamentos

Tratamento

No caso da dependência de álcool, existem várias abordagens que podem incluir a desintoxicação (retirada progressiva da substância do organismo de forma segura), o tratamento medicamentoso e o aconselhamento individual (ou em grupo).

As terapias ensinam a identificar situações e sensações que levam à vontade de beber e a lidar com a falta do álcool. Podem ser realizadas tanto em hospitais como em ambientes familiares. A participação da família, inclusive, é considerada benéfica para o tratamento. Alguns programas incluem até mesmo aulas para pais, mas lembre-se que é fundamental procurar orientação médica antes de seguir qualquer tratamento.

A Alcoólicos Anônimos é uma das organizações mais conhecidas nessa área. Sem fins lucrativos, constituída por mais 90 mil grupos locais espalhados em 146 países, é composta por homens e mulheres que compartilham suas experiências buscando auxiliar aqueles que querem se recuperar.

Saúde pública

O consumo de álcool, mesmo em baixa quantidade, aumenta as chances de envolvimento em acidentes de carro, tanto para motoristas como para pedestres7. Entre 2003 e 2005, o consumo de álcool no Brasil foi em média de 6,2 litros por pessoa, próximo da média mundial de 6,13 litros em 2005. Entre os consumidores homens de 15 anos ou mais, foram 24,4 litros de álcool consumidos. No grupo das mulheres, esse número foi de 10,6 litros. A cerveja aparece no topo da lista de bebidas mais consumidas no país, com 3,36 litros per capita, superando os destilados (2,49 litros) e o vinho (0,33 litros).

Uma das medidas promovidas pelo governo brasileiro para diminuição do número de acidentes nestas circunstâncias ficou conhecida como “Lei Seca”. Na legislação atual, dirigir sob efeito de qualquer concentração de álcool no sangue é considerado infração gravíssima e ocasiona multa e suspensão da habilitação por 12 meses.

1.    WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global status report on alcohol and health. 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2013.

2.     REUTERS, D. Folha equilíbrio. Álcool mata mais que Aids, tuberculose e violência, diz OMS. In: FOLHA DE S. PAULO, 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2013.

3.     CENTRO DE INFORMAÇÕES DE SAÚDE E ÁLCOOL. Efeitos danosos do álcool no cérebro. 2013. Disponível em: . Acesos em: 18 mar. 2013.

4.     ANDRADE, AG. et al. Principais conseqüências em longo prazo relacionadas ao consumo moderado de álcool. 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2013.

5.     BRASIL. Ministério da Saúde. Álcool: da diversão ao vício. 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 mar.2013.

6.     JUNTA DE SERVIÇOS GERAIS DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS NO BRASIL. A irmandade. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2013.

7.     WORLD HEALTH ORGANIZATION. Action needed to reduce health impact of harmful alcohol use. 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2013.

8.     BRASIL. Ministério da Justiça. Polícia Rodoviária Federal. Lei Seca. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2013.

 

BR/PP/0002/13

ANTERIOR
QUAL A ATIVIDADE FÍSICA MAIS RECOMENDADA PARA VOCÊ?
PRÓXIMO
Mitos e verdades por trás da dieta vegetariana
COMPARTILHE