HOME O PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA MINHA SAÚDE PERGUNTE AO ESPECIALISTA LOCALIZADOR DE FARMÁCIAS PERGUNTAS E RESPOSTAS   COMPARTILHE        
  LOGIN | CADASTRO

16/09/2021

A dermatite atópica é uma doença inflamatória da pele de caráter crônico e recidivante, ou seja, têm períodos de melhora e piora ao longo do tempo. Frequentemente, a dermatite atópica se associa a outras doenças atópicas como asma, rinite e conjuntivite alérgica.1

O impacto social e econômico dessa doença é muito relevante, especialmente, nos casos graves, devido ao seu impacto na qualidade de vida, no sono e nas atividades diárias. A dermatite atópica é mais frequente nas crianças.1

O quadro clínico da dermatite atópica pode variar desde as formas mais leves e localizadas até formas mais graves e disseminadas. As lesões podem ser agravadas por alguns fatores, dentre eles estresse, frio e calor. A coceira, o inchaço e a vermelhidão da pele são alguns dos sintomas.2

Porque é importante falar sobre dermatite atópica?

O curso crônico, a intensidade dos sintomas e o desconforto provocado pela doença ocasionam sérias implicações na vida do indivíduo e de seus familiares. Podendo acarretar, inclusive, dificuldade na escolar, na interação social e familiar.3

Independentemente da gravidade do acometimento, a dermatite atópica tem forte influência na qualidade de vida, pois interfere nas suas atividades diárias, tanto de lazer como de trabalho e estudo.3

Como funciona o tratamento de um paciente com dermatite atópica?

A principal causa de falha no manejo da dermatite atópica é a não aderência ao tratamento. Por se tratar de doença crônica, o tratamento deve ser planejado com perspectiva a longo prazo.

  • Programas educacionais: deve-se permitir que a família tenha uma vida mais próxima possível da normal, evitando restrições desnecessárias.
  • Evitar o uso de tecidos à base de lã e fibras sintéticas e o uso de roupas muito quentes, para evitar a sudorese excessiva;
  • O banho deve ser morno, com pouco sabonete, secagem leve e sem esfregar e seguida da aplicação do hidratante;
  • Aplicar uma camada grossa do hidratante várias vezes ao dia;
  • Manter amamentação materna exclusiva até seis meses;
  • Manter boa ingestão de água;
  • Manter uma temperatura amena no quarto, evitando-se o excesso de agasalhos;
  • Seguir o calendário vacinal, seguindo as recomedações do pediatra.4

 

Seu diagnóstico se baseia na avaliação conjunta de sinais, sintomas, evolução e histórico familiar. Os casos típicos podem ser reconhecidos clinicamente. Entretanto, alguns casos podem necessitar de longa observação e exclusão dos diagnósticos diferenciais. O ponto principal do tratamento está no controle adequado do prurido e das lesões da pele, uma vez que a cura ainda não é possível.5 É muito importante lembrar que a dermatite atópica NÃO é contagiosa.

O dia da conscientização sobre a dermatite atópica foi criado em 2017 pela SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e pela ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia). Leve mais informação aos que estão à sua volta sobre a necessidade de conhecermos e entendermos mais sobre a dermatite atópica. Se você apresenta esses sintomas, busque tratamento. É possível ter qualidade de vida tendo dermatite atópica.

Referências:

  1. LEITE, Rubens Marcelo Souza; LEITE, Adriana Aragão Craveiro; COSTA, Izelda Maria Carvalho. Dermatite atópica: uma doença cutânea ou uma doença sistêmica? A procura de respostas na história da dermatologia. Anais Brasileiros de Dermatologia, v. 82, p. 71-78, 2007.
  2. CESTARI, Silmara CP. Dermatite atópica em Pediatria: diagnóstico e tratamento. Pediatr. mod, p. 29-34, 2005.
  3. CASTRO, Ana Paula M. et al. Guia Prático para o Manejo da Dermatite Atópica–opinião conjunta de especialistas em alergologia da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia e da Sociedade Brasileira de Pediatria. Rev bras alerg imunopatol, v. 29, n. 6, p. 268-82, 2006.
  4. JÚNIOR, Pérsio Roxo. Atualização no tratamento da dermatite atópica. Revista Paulista de Pediatria, v. 24, n. 4, p. 356-362, 2006.
  5. FERREIRA, Ana Filipa Rodrigues Iglésias. Dermatite Atópica: impacto na qualidade de vida. 2021.

Países autorizados para divulgação do Material: Brasil.

NP-BR-COP-PSP-210001

ANTERIOR
Mitos e verdades sobre epilepsia
PRÓXIMO
A depressão passa dos pais para os filhos?
COMPARTILHE