HOME O PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA MINHA SAÚDE LOCALIZADOR DE FARMÁCIAS PERGUNTAS E RESPOSTAS   COMPARTILHE        
  LOGIN | CADASTRO
 

O que é DPOC

O nome DPOC pode assustar à primeira vista, mas diz respeito a uma doença bastante comum. Segundo um estudo divulgado em 2005, 15% das pessoas com mais de quarenta anos da área metropolitana de São Paulo vivem esse problema. Calcula-se que cerca de dez milhões de pessoas tenham DPOC no Brasil.1 Apesar de seu nome parecer complicado, entender a doença e conviver com ela não tem mistério.

A sigla DPOC significa Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, que é um grupo de enfermidades que limita a passagem de ar pelos pulmões. É crônica porque não tem cura, apesar de ser possível preveni-la, tratá-la e revertê-la parcialmente, e é obstrutiva porque causa o bloqueio das vias aéreas, tornando difícil respirar.2

A DPOC é causada basicamente pela associação de duas ou mais doenças: a bronquite crônica e o enfisema pulmonar são as mais comuns. A bronquite é a inflamação dos brônquios (que levam e trazem o ar na respiração 1) de maneira persistente, provocando tosse e secreção. Já o enfisema pulmonar é a destruição dos tecidos do pulmão, que se torna perfurado e aerado.2 As duas alterações acontecem em maior ou menor grau, dependendo do caso.3

Referências

BR/RESP/0121/17 – Jan/18

1. PORTAL BRASIL. Enfisema pulmonar e bronquite crônica. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2012/04/enfisema-pulmonar-e-bronquite-cronica>. Acesso em: 01 ago. 2017.

2. MINISTÉRIO DA SAÚDE - CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA. Doenças respiratórias crônicas. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_respiratorias_cronicas.pdf>. Acesso em: 31 jul. 2017

3. BLOG DA SAÚDE. Doenças respiratórias crônicas | doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Disponível em: <http://www.blog.saude.gov.br/index.php/35390-doencas-respiratorias-cronicas-doenca-pulmonar-obstrutiva-cronica-dpoc>. Acesso em: 31 jul. 2017.

Diagnóstico, causas e sintomas

A DPOC costuma piorar com o tempo e sua principal causa é o tabagismo, responsável por 80 a 90% dos casos.1 Além dele, existem outras causas como a poluição, exposição a substâncias tóxicas da queima de lenha, cana-de- açúcar e queimadas, ou exposição a substâncias químicas nocivas no trabalho. Também pode ser causada por alterações genéticas.2

 

 

O diagnóstico da DPOC é feito por meio de exame clínico e através de um exame chamado espirometria para confirmar o diagnóstico. Os principais sintomas são dificuldade de respirar, tosse crônica e expectoração, ou seja, secreção.2

 

Existem cinco perguntas básicas que ajudam o profissional de saúde a diagnosticar a doença1:

  • Você tem tosse pela manhã?
  • Você tem catarro pela manhã?
  • Você se cansa mais do que as pessoas da sua idade?
  • Tem chiado no peito à noite ou durante exercícios?
  • Tem mais de quarenta anos?

Se você apresenta algum dos sintomas acima é indicado que procure um médico.2 O diagnóstico e o tratamento constante são muito importantes. 2

Muitos pacientes negligenciam os sintomas da doença e os consideram apenas uma indisposição para atividades diárias.2 Porém, se não tratada, a DPOC progride e podem surgir exacerbações, como são chamadas as pioras súbitas nos sintomas da doença.1 Quando o problema evolui, até atividades comuns como comer, caminhar e se vestir tornam-se difíceis.2

Por outro lado, quando a DPOC é tratada corretamente, a doença é parcialmente reversível e o paciente pode levar uma vida normal. É muito importante aliar o tratamento a uma alimentação saudável e exercícios físicos ou reabilitação pulmonar.2 Conhecer o problema é um grande passo para enfrentá-lo. Evite os fatores de risco, procure viver um dia-a- dia saudável e procure seu médico ao sentir sintomas persistentes.

Referências

BR/RESP/0121/17 – JAN/18

1. MINISTÉRIO DA SAÚDE - CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA. Doenças respiratórias crônicas. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_respiratorias_cronicas.pdf>. Acesso em: 31 jul. 2017.

2. PORTAL BRASIL. Enfisema pulmonar e bronquite crônica. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/saude/2012/04/enfisema-pulmonar-e-bronquite-cronica>. Acesso em: 01 ago. 2017.

DPOC: Mitos & verdades

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ou DPOC é uma doença crônica dos pulmões. Apesar de ser uma doença respiratória comum, ainda existem muitas dúvidas em torno da DPOC. Abaixo você pode conferir alguns mitos que envolvem a doença e o que de fato é de verdade.

img-mitos
MITO: A FALTA DE AR É O ÚNICO SINTOMA DA DPOC
img-verdades

VERDADE: A falta de ar é um dos principais sintomas da DPOC, mas outros sinais para ficar atento são cansaço, tosse persistente acompanhada de muco, infecções pulmonares e chiado.1

img-mitos
MITO: DPOC SÓ ACONTECE EM PESSOAS IDOSAS
img-verdades

VERDADE: A DPOC pode apresentar sintomas iniciais por volta dos 40 anos, ou até antes, embora seja diagnosticada mais frequentemente em pacientes na faixa dos 50 - 60 anos de idade.2

img-mitos
MITO: DPOC É O MESMO QUE ASMA
img-verdades

VERDADE: Apesar dos sintomas serem parecidos, asma e DPOC não são a mesma doença.3 É importante receber o diagnóstico correto para realizar o tratamento mais adequado para a condição clínica de cada paciente.

img-mitos
MITO: EXERCÍCIO FÍSICO AGRAVA A DPOC
img-verdades

VERDADE: O exercício físico demonstrou ser seguro e benéfico para a maioria dos pacientes com DPOC.4,5 Fale com seu médico sobre os exercícios mais adequados para você.

img-mitos
MITO: TABAGISMO É A ÚNICA CAUSA DE DPOC
img-verdades

VERDADE: Apesar do tabagismo ser a principal causa, a exposição a fumaça, poeira, produtos químicos ou poluentes nocivos podem resultar no desenvolvimento da DPOC.6,7

img-mitos
MITO: UMA DIETA SAUDÁVEL NÃO INFLUENCIA NA DPOC
img-verdades

VERDADE: Manter uma dieta balanceada, incluindo comer frutas e legumes frescos, pode ajudar a aumentar seus níveis de energia e melhorar sua saúde.8,9,10

img-mitos
MITO: O PESO NÃO AFETA A DPOC
img-verdades

VERDADE: O excesso de peso pode deixar o paciente mais ofegante e agravar seus sintomas. Manter o peso saudável pode ajudar a prevenir e reduzir a gravidade dos sintomas da DPOC.11,12

img-mitos
MITO: A DPOC INEVITAVELMENTE LEVA À PIORA DA QUALIDADE DE VIDA
img-verdades

VERDADE: É possível ter qualidade de vida mesmo com DPOC. Um tratamento medicamentoso adequado e ajustes no estilo de vida podem ajudá-lo a alcançar a melhora da qualidade de vida.13

img-mitos
MITO: NÃO SE PODE TRATAR A DPOC
img-verdades

VERDADE: Embora atualmente não haja cura para DPOC, fale com seu médico para encontrar o suporte certo e opções de tratamento que funcionam para você.

img-mitos
CMITO: EU ESTOU SOZINHO LIDANDO COM A DPOC
img-verdades

VERDADE: No Brasil, cerca de 7 milhões de pessoas têm DPOC.14 Grupos de pacientes com DPOC oferecem conselhos e apoio para ajudar a viver com esta condição.

Entender a DPOC e as escolhas que você pode fazer para o manejo de sua condição podem melhorar seu bem-estar.

FALE COM SEU MÉDICO

Referências

BR/CPD/0024/17a (1475432) – FEVEREIRO/18

1. NHS Choices. Symptoms of COPD. Disponível em: <http://www.nhs.uk/conditions/chronic-obstructive-pulmonary-disease/pages/symptoms.aspx>. Acesso em: 24 nov 2017.

2. VANDEVOORDE, J. et al. Early detection of COPD: A case finding study in general practice. Respir Med., 101(3):525-530, 2007.

3. YAWN, B. et al. Differential Assessment and Management of Asthma vs Chronic Obstructive Pulmonary Disease. Medscape J Med, 11(1):20, 2007.

4. PROBST, V. et al. Effects of 2 Exercise Training Programs on Physical Activity in Daily Life in Patients With COPD. Respir Care, 56(11)1799-1807, 2011.

5. RIBEIRO, F. et al. Should all patients with COPD be exercise trained? J Appl Physiol, 114(9):1300-1308, 2013.

6. COPD Foundation. What is COPD? Disponível em: <https://www.copdfoundation.org/What-is-COPD/Understanding-COPD/What-is-COPD.aspx>. Acesso em: 24 nov 2017.

7. PELICARIC, D. et al. COPD among non-smokers. Eur Respir J, 40: P3999, 2012.

8. SCHOLS, A. et al. Nutritional assessment and therapy in COPD: a European Respiratory Society statement. Eur Respir J, 44:1504-1520, 2014.

9. HALLIN, R. et al. Nutritional status, dietary intake and the risk of exacerbations in patients with chronic obstructive pulmonary disease (COPD). Respir Med, 100:561-567, 2006.

10. TSILIGIANNI, I. et al. A systematic review of the role of vitamin insufficiencies and supplementation in COPD. Respir Res 11:171, 2010.

11. NHS Choices. Living with COPD. Disponível em: <http://www.nhs.uk/Conditions/Chronic-obstructive-pulmonary-disease/Pages/living-with.aspx>. Acesso em: 24 nov 2017.

12. ZAMMIT, C. et al. Obesity and respiratory diseases. Int J Gen Med, 3:335-343, 2010.

13. CHAVENNES, N. et al. Integrated disease management improves one-year quality of life in primary care COPD patients: a controlled clinical trial. Prim Care Respir J, 18(3):171-176, 2009.

14. MENEZES, AMB. Worldwide burden of COPD in high and low-income countries – Part II. Burden of chronic obstructive lung disease in Latin America: the PLATINO study. Int J Tuberc Lung Dis, 12(7): 709-712, 2008.

Tratamento da DPOC ao longo dos anos

A medicação inalatória tem papel importante no tratamento da asma e da DPOC. A diminuição da liberação da medicação associada à técnica incorreta de uso do dispositivo pode comprometer a adesão ao tratamento.1

Os principais dispositivos utilizados para inalação são:

  • Nebulizadores
  • Spray ou aerossol (“bombinhas”)
  • Inaladores de pó seco

Atualmente existe uma série de dispositivos inalatórios usados no tratamento da asma e DPOC no Brasil. Saiba mais sobre a evolução desses dispositivos ao longo dos anos:

Além dos dados apresentados acima, é possível comparar o número de erros críticos cometidos por pacientes com asma e DPOC ao utilizar alguns dispositivos, após leitura da bula.2

Nos pacientes com asma, menos pacientes cometeram pelo menos um erro ao utilizar o inalador Ellipta quando comparado ao dispositivo Turbuhaler®, de forma signiticativa.2

Nos pacientes com DPOC, menos pacientes cometeram pelo menos um erro crítico ao utilizar o Ellipta em comparação ao Diskus, spray, ® e Breezhaler®, de forma significativa.2

O treinamento para a minimização de erros na utilização dos dispositivos é essencial para se alcançar o efeito ótimo da medicação. Além disso, as diretrizes para o tratamento da asma e da DPOC recomendam que um profissional de saúde forneça instrução e demonstre a técnica correta de uso ao prescrever um dispositivo inalatório.2

Consulte o seu médico para mais informações.

Referências

BR/RESP/0051/18 – JUN/18

1. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o manejo da asma. J Bras Pneumol, 38(Supl 1): S1-S46, 2012.

2. VAN DER PALEN, J. et al. A randomised open-label cross-over study of inhaler errors, preference and time to achieve correct inhaler use in patients with COPD or asthma: comparison of ELLIPTA with other inhaler devices. NPJ Prim Care Respir Med. 26:16079, 2016.

3. WACHTEL, H. et al. The Respimat® Development Story: Patient-Centered Innovation. PulmTher, 3: 19-30, 2017.

4. DE BOER, AH. et al. Dry powder inhalation: past, present and future. Expert Opinion OnDrug Delivery, 14(4): 499-512, 2017.

5. MOLIMARD, M. et al. Inhalation devices for long-acting ß2-agonists: efficiency and easy of use of dry powder formoterol inhalers for use by patients with asthma and COPD. 23(10): 2405-2413,2007.

6. THE PHARMACEUTICAL JOURNAL. COPD treatment, indacaterol (onbrez breezhaler), launched this week. Disponível em: <https://www.pharmaceutical-journal.com/news-and-analysis/copd-treatment-indacaterol-onbrez-breezhaler-launched-this-week/11021046.article>. Acesso em: 29 maio 2018.

7. GSK. Inhaler innovation: more than a simple piece of plastic. 2016. Disponível em: <https://www.gsk.com/en-gb/behind-the-science/innovation/inhaler-innovation-more-than-a-simple-piece-of-plastic/>. Acesso em: 02 maio 2018.

8. CAMBRIDGE CONSULTANTS. Breathing new life into inhalers. Disponível em: <https://www.cambridgeconsultants.com/press-releases/breathing-new-life-inhalers>. Acesso em 02. maio 2018.

9. BELO, A. et al. Nebulizador. 2012. Disponível em: <http://www.mgfamiliar.net/recursos_educacao_inalatorios>. Acesso em: 10 maio 2018.

10. FLIXOTIDE Nebules (propionato de fluticasona). Bula do produto.

11. SERETIDE Spray (xinafoato de salmeterol/propionato de fluticasona). Bula do produto.

12. SYMBICORT® Turbuhaler® (fumarato de formoterol di-hidratado/budesonida). Bula do produto.

13. SERETIDE Diskus (xinafoato de salmeterol/propionato de fluticasona). Bula do produto.

14. FORASEQ® (fumarato de formoterol di-hidratado/budesonida). Bula do produto

15. SPIRIVA® Respimat® (brometo de tiotrópio monoidratado). Bula do produto.

16. BELO, A. et al. Breezhaler. Disponível em: <http://www.mgfamiliar.net/recursos_educacao_inalatorios>. Acesso em: 30 maio 2018.

17. ULTIBRO® Breezhaler® (indacaterol/glicopirrônio). Bula do produto.

18. FOSTAIR® DPI (fumarato de formoterol/dipropionato de beclometasona). Bula do produto.

19. RELVAR ELLIPTA (trifenatato de vilanterol/furoato de fluticasona). Bula do produto.

Dicas para uma vida mais saudável

Pacientes diagnosticados com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) necessitam também de intervenções não-farmacológicas que contribuem para melhora da condição clínica em que se encontram.1

É recomendada a estimulação da autonomia dos pacientes, enfatizando os fatores de risco da doença, em especial o tabagismo, reforçar pontos-chave do tratamento e o uso correto do dispositivo para uma melhor adesão à terapia inalatória.1,2

img-verdades

O médico é capaz de orientar o paciente sobre exercícios físicos que sejam adequados ao estado de saúde e que possam promover uma melhora do estado de saúde do paciente, onde estes exercícios são recomendados numa rotina regular e concomitantes ao tratamento farmacológico.¹

 

Habitualmente, 20 a 30% dos pacientes com DPOC têm peso abaixo do normal e 30 a 40% deles têm peso acima do normal. Ambas as situações são prejudiciais para o paciente. Portanto, são necessárias recomendações nutricionais a fim de aproximar do peso ideal.1

Referências

BR/CPD/0033/18 – MAIO/18

1. MINISTÉRIO DA SAÚDE - CADERNO DE ATENÇÃO BÁSICA. Doenças respiratórias crônicas. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_respiratorias_cronicas.pdf>. Acesso em: 05 maio 2018.

2. VAN DER PALEN, J. et al. A randomised open-label cross-over study of inhaler errors, preference and time to achieve correct inhaler use in patients with COPD or asthma: comparison of the ELLIPTA with other inhaler devices. NPJ Prim Care Respir Med, 26: 160709, 2016.

Teste de Avaliação da DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica)

Este questionário irá ajudá-lo e ao seu profissional de saúde a medir o impacto que a DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) causa no seu bem estar e no seu dia a dia. As suas respostas e a pontuação do teste podem ser utilizadas por você e pelo seu profissional de saúde para ajudar a melhorar o controle da sua DPOC e a obter o máximo benefício do tratamento.1

Sua DPOC está controlada? Conheça o teste e consulte o seu médico
COMPARTILHE